terça-feira, 18 de abril de 2017

A panela de cozedura lenta (slowcooker)


Há uns anos atrás, a minha mãe “descobriu”, perdida na despensa, uma panela de cozedura lenta que lhe tinham dado quando se casou. Não juro, mas tenho quase a certeza que a minha mãe me disse que a panela nunca tinha sido usada...
Entretanto usei-a na altura para fazer uma carne de porco - esta receita do blogue: http://paracozinhar.blogspot.pt/2010/01/carne-de-porco-estufada-com-cogumelos.html - e depois disso deixei-a esquecida na despensa. Mudei de casa, e a panela veio também. Mais algum tempo sem lhe pegar.
Entretanto, em conversa com umas amigas, surge o tema - slowcooker. Uma que comprou a panela no Aldi, por cerca de 25€, e outra que tem mesmo a verdadeira slowcooker que mandou vir da amazon...  E o que cozinhar na slowcooker. E como é pratica, e como é saudável, e como gasta pouco.
Senti-me inspirada. Procurei informação - e o google é uma excelente ferramenta para saber mais acerca de muitos assuntos - e tenho usado, com alguma regularidade a minha slowcooker.
Em primeiro lugar, deixem que vos diga que, apesar de muitas e muitas horas ligadas - pode estar cerca de 12 horas a “fazer o almoço ou o jantar”, a slowcooker gasta muito pouco. Depois, é um método de cozinhar os alimentos a temperaturas mais baixas, o que a torna muito saudável, não só na forma como mantém as propriedades dos alimentos, mas também porque estes cozinham nos seus proprios sucos, não sendo necessário adicionar líquidos. E depois porque não precisa de vigilancia... basta colocar tudo lá para dentro, ligarem a panela, ir trabalhar, e quando chegarem têm um cheiro delicioso pela casa e o jantar pronto a ser servido...

Um delicioso estufado de carne de vaca e legumes na panela de cozedura lenta

Da minha slowcooker já saíram umas deliciosas almôndegas com molho de tomate, numa daquelas refeições mesmo preguiçosas. Almôndegas caseiras feitas e congeladas, assim como molho de tomate e vegetais pronto e congelado, como já vos falei aqui. Tudo diretamente do congelador para dentro da panela de cozedura lenta. Liguei no high às 8 horas da manhã,  (a minha panela só tem 2 modos: low e high, sendo que o high sozinha em metade do tempo do low....) e às 13h tinha prontas umas deliciosas e muito suculentas almôndegas.
Tenho feito estufados maravilhosos: legumes variados e cortados em cubinhos pequenos para dentro da penal juntamente com aromáticos a gosto, sal e pimenta e carne em pedaços pequenos. No modo low durante 12 horas e uma textura e sabor completamente diferente do habitual.
Já cozinhei também bolonhesas normais, chillis, e tenho uma receita de peito de peru com mostarda para experimentar. Tudo o que sejam as tradicionais receitas de “um tacho só” tÊm tudo para resultar numa panela de cozedura lenta.
Há mesmo que ter em atenção alguns pormenores, como não juntar álcool - como vinho ou cerveja - porque não evaporam bem, e de não juntar líquidos juntamente com os ingredientes, uma vez que o líquido que libertam é suficiente para cozinhar os alimentos.
A minha amiga Joana cozinha lombo de porco e até polvo na panela dela, mas eu confesso que ainda não me aventurei por esses lados. 
Há blogues, páginas e sites totalmente dedicados a receitas para panelas de cozedura lenta. E até já vi uma receita de papas de aveia que se colocam a fazer à noite para estarem prontas logo de manhã...
Eu ainda só estou a aprender a usar a minha, mas do que tenho experimentado estou rendida.
Quanto a marcas, é como vos disse. A minha panela tem perto de 40 anos e é impossível ser mais vintage.. E se estão interessadas numa e não querem gastar muito dinheiro, todas as pessoas que conheci que compraram a do Aldi estão muito satisfeitas.
Se usam deixem aqui as vossas sugestões de receitas, de truques ou de dicas. é tudo muito bem vindo!


(E deixo-vos um link para saberem mais: http://www.e-konomista.pt/artigo/panela-de-cozedura-lenta/)

11 comentários:

  1. Tenho uma slowcooker há mais de 10 anos e adoro, precisamente pelo gostinho especial de chegar a casa depois dum dia de trabalho e o jantar estar «miraculosamente» feito. Uma das receitas mais repetidas é a de lombo de porco «assado»: um lombo de porco a marinar duas ou três horas ou de um dia para o outro. De seguida roso-o numa frigideira e ponho o lombo e a respectiva marinada na slowcooker.

    ResponderEliminar
  2. Tenho a minha desde o Natal e adoro. É muito bom chegar a casa e ter o jantar feito e como dizes o cheirinho.... hum....
    Para além de fazer tudo o que é de panela às vezes também faço 'assados' em modo slow cooker como frango assado com batatas e legumes... até já fiz um bacalhau à gomes de sá! Tenho experimentado muito e como dizes a única coisa que correu mal foi ter juntado um pouco de vinho num frango.

    ResponderEliminar
  3. eu nunca ouvi falar... mas conseguiram me despertar o interesse :) tem todo o ar de que faz alguns pratinhos com sabor bem apuradinho sim senhor!

    ResponderEliminar
  4. Joana hás-de procurar lemon peper chicken.. costumava fazer nos EUA quando vivia lá e tinha a minha slowcooker (que ficou nas terras do tio Sam :( ). Marta

    ResponderEliminar
  5. Pois eu também desconhecia esta panela e estou muito entusiasmada em conseguir uma. Fui ontem à Worten mas não havia nenhuma. No site da Worten aparece uma no valor de € 44,50 , é muito? Não faço ideia do valor destas panelas (desculpem a pergunta). Tentei pesquisar o preço da panela da Aldi mas não encontrei. Se puderem dar-me alguma resposta com marcas e preços e onde encontrar agradecia muito. Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu comprei - sortuda! - no Lidl há mais ou menos 1 semana por 18€, não sei se ainda haverá. No Aldi vi há uns dias a 25€,

      Eliminar
  6. De repente voltei à infancia. A minha mãe tem uma precisamente igual e usava muito. Colocava tudo lá para dentro e à noite o jantar aparecia. Tenho de ir perguntar onde anda a panelinha :)

    ResponderEliminar
  7. Tenho uma da Kenwood (cerca de 60 eur salvo erro já foi há uns 6 anos) e adoro. As especialidades mais apreciadas são a feijoada, o entrecosto e costoletas. Adoro!!

    ResponderEliminar
  8. Ora que interessante!
    Tudo o que é cozinhado com tempo, sempre foi mais delicioso.
    E nos tempos que correm - em que a qualidade dos alimentos e rápido ritmo de vida impõem hábitos de consumo tão descartáveis e de fraca condição nutritiva - essa «pequena» diferença pode ser muito importante.

    Na minha família sempre existiu foi «a panela de cozer arroz». Se serve para outros cozinhados, não sei. talvez sirva. É eletrica. Mete-se o arroz lá para dentro, um pouco de água, carrega-se num botão e aquilo desliga sozinho - deixando o arroz no ponto. Mas se era muito usada na infância, agora não passa de um adorno. Raramente é usada. Mas sempre lhe achei piada.

    E se gasta pouco (como saber ao certo) e demora 12h a cozinhar... Então até é bom. Uma pessoa chega a casa e já lhe aguarda uma refeição quente, eheheh. Nem é preciso um mais-que-tudo nem nada :))

    Só te digo mais isto: QUE BELO PRESENTE de casamento!
    Daqueles que dura gerações.

    ResponderEliminar
  9. Por acaso esta nunca tinha ouvido falar, mas tenho uma Fusssioncook que não é mais que uma panela de pressão programável. Faço isso tudo também. Tem vários programas e pode ser programada até 12h depois, ou seja, posso à meia noite, programar uma refeição que queira ter feita ao meio dia do dia seguinte. Normalmente quando saio tarde, deixo programada para tera refeição pronta quando chego. Só dá é para estufados ou guisados, pois não tem vel colher como a Bimby... 😉.

    ResponderEliminar